Siga por E-mail

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Adormecer...

Enquanto você dormia, eu via a vida passar como um sonho tedioso.
Minha alma lavada parecia suja, destilando o veneno por todos os meus órgãos.
Enquanto você sonhava com o momento de despertar eu desejava adormecer para descansar do pesadelo que me perseguia, eu sentia, vivia, fugia, capturado no final.
Eu em desespero, suplicava para não sentir a dor que tanto me dava prazer, eu não conseguia, não posso evitar ser ferido.
Em seu canto de esperança, desenhava com giz colorido nas paredes do quarto o mundo ideal lá fora, eu apareci em algum desenho, rabiscando em um lado com carvão algumas palavras de arrependimento.
Eu apaguei a luz e esperei vez o sol quando abrisse os olhos, esperei ver um sorriso de bom dia... e você, que já havia despertado antes de mim, nem veio me trazer um café preto, um cigarro, nada.
Meu pesadelo continuou pernoitando, meu desejo apagou-se em lágrimas e meu veneno que eu tanto gostava de sentir o amargo, evaporou-se tornando-se a chuva que molha sua janela.